quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

A maldição, enfim, caiu

Benzema, Guti e Xabi Alonso. Os dois primeiros deram show e a maldição de não ganhar no Riazor caiu, após 19 anos (realmadrid.com)

Desde a temporada 91/92, quando venceu por 2x0 no Riazor, o Real Madrid não sabia o que era derrotar os galegos na Galícia. Sem Cristiano Ronaldo (suspenso por duas partidas, após dar uma cotovelada em Mtiliga do Málaga, quebrando o nariz do zagueiro) e Higuaín, dois dos principais jogadores dos merengues na temporada, a "maldição do Riazor" tinha tudo para continuar... tinha. Desestabilizado pela eliminação da Copa del Rey para o Sevilla e pela lesão de Fílipe Luis, o Deportivo mostrou pouco futebol e sucumbiu diante de um grande Real Madrid, que contou com uma bela partida de Kaká, Granero e principalmente de Guti e Benzema. A curiosidade foi por conta dos jogadores que estavam no banco de reservas do time madrileño: Mosquera, Rodrigo, Mateos e Ruiz. Dos sete reservas, quatro eram do Real Madrid Castilla.

Com um meio-campo bastante ofensivo (Xabi Alonso, Granero, Guti, Kaká) e contando com a volta de Raúl ao time titular o Real Madrid foi de pouco em pouco tomando conta da partida. Logo aos 8 minutos, Colloto recuou a bola errada e Benzema foi esperto. O francês tinha a opção de passe para Raúl, porém confiou no taco e soltou a bomba, obrigando Aranzubia a fazer uma bela defesa. O primeiro gol viria cinco minutos depois. Cruzamento de Guti para a área e Raúl Albiol desviou no primeiro poste, Laure falhou ao tentar cortar e el pirata Granero não desperdiçou. Logo após o primeiro gol no marcador, Raúl perdeu duas grandes chances de matar o jogo. Primeiro aos 19, quando Benzema veio descendo pela direita e cruzou para área. El capitán estava livre na frente de Aranzubia, porém não conseguiu rematar. A segunda chance foi logo após a primeira. Dessa vez jogada pela esquerda de Marcello, que cruzou para área e, novamente livre, Raúl na marca do penalti, chutou para cima. O Deportivo não era nem de perto o time que fez um excelente primeiro turno e deixava o Real Madrid muito solto para marcar.

O segundo foi gol do time da capital, foi uma pintura (clique aqui e veja o golaço)! Kaká puxou a jogada pela esquerda, e deixou Guti na cara de Aranzubia. O meio-campista surpreendeu à todos, quando, ao invés de chutar, tocou de calcanhar para Benzema, que vinha de trás. O francês com o gol aberto, mandou a bola para os fundos da rede. Golaço! Após o apito final, Guti foi entrevistado pela La Sexta e explicou o passe fantástico para Benzema.

Guti matou toda à defesa do Deportivo, com um passe de calcanhar para Benzema. Foi o segundo gol do jogo (marca)


Segundo tempo

A temática do segundo tempo foi, praticamente, a mesma da primeira etapa. O Deportivo estava irreconhecível e o Real Madrid, que de acordo com Manuel Pellegrini, não fez a sua melhor partida na temporada, quase aumentou aos três minutos. Xabi Alonso deu um belíssimo passe em diagonal para Kaká, porém o brasileiro pegou de primeira e bola acabou subindo demais. Sérgio Ramos tentou dar mais emoção aos minutos finais de jogo e cometeu penalti bobo em Riki. Riki sofreu, Riki cobrou. O Deportivo diminuia o jogo à quatro minutos do final do tempo regulamentar. Pellegrini, afim de proteger mais a sua zaga, tirou Raúl e colocou Drenthe. E aos 46 minutos, Benzema deu números finais ao jogo. Guti novamente puxou um contra ataque, e tocou no meio para Kaká. O brasileiro levantou a cabeça e, rapidamente, tocou para Xabi Alonso na direita. O espanhol percebeu a invasão de Arbeloa na àrea blanquiazul e tocou para o lateral, que rapidamente tocou atrás para Benzema, que pegou de primeira, marcando o terceiro do Real Madrid e o segundo dele. Ao final de jogo, o técnico dos merengues afirmou que a Liga está mais do que nunca, aberta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário