quarta-feira, 8 de junho de 2011

Balanço Final: Sporting Gijón

Desafeto de Mourinho, Preciado fez o português engolir as próprias palavras (getty images)

Campanha: 10ª posição. 38 jogos, 11 vitórias, 14 empates e 13 derrotas. 35 gols pró e 42 gols contra.
Competição europeia: Não participou
Copa del Rey: Eliminado na fase 16 avos de finais pelo Mallorca
Time-base: Juan Pablo; Lora, Botía, Iván Hernández, José Ángel; Eguren, Cases; De Las Cuevas, André Castro, Diego Castro; Barral.
Os artilheiros: Diego Castro (10 gols), De Las Cuevas e Barral (5), Nacho Novo (4).
O técnico: Manolo Preciado
O destaque: Juan Pablo
A decepção: Nacho Novo

Segundo pior ataque do campeonato, terceira melhor defesa. Partidas do Sporting de Gijón não eram recomendadas para quem acha que futebol é “bola na rede”. Mas esse sistema de jogo tem sido muito produtivo para o clube asturiano. Os sportinguistas tiveram problemas no meio do campeonato, quando uma má fase enviou a equipe para a zona de rebaixamento. Mas, quando conseguiu impor seu estilo, conseguiu os resultados que o mantiveram longe do perigo. Além disso, pode render alguns milhões de euros com a venda de defensores, como José Ángel, especulado como reforço do Barcelona pela imprensa catalã.

Manolo Preciado, que comanda a equipe desde 2006, mudou completamente o enfoque. O time passou a valorizar placares apertados e defesas muito fechadas. Na temporada 2009/10, o Sporting sofreu 28 gols a menos, terminando com a 11ª melhor defesa. Conseguiu 12 empates a mais, seis derrotas a menos e ficou quatro pontos acima da zona de rebaixamento. Para tamanha evolução, o técnico simplesmente deu tempo para jogadores de sua confiança trabalharem juntos. O lateral-direito Lora e o zagueiro Iván Hernández já estão no clube desde 2007, seguindo desde a segunda divisão. Em 2009, após o cataclisma defensivo, foram contratados o volante Rivera (estava na Segundona com o Betis), o zagueiro Botía (ex-Barcelona B) e o goleiro Juan Pablo (ex-Tenerife e Numancia). Além disso, Preciado promoveu o lateral-esquerdo José Ángel do Sporting B.

Essa linha defensiva mostrou potencial no ano passado, mas tem se revelado muito competitiva na atual temporada. A disciplina tática é elogiável, com jogadores que sabem como se posicionar e se entregam a cada jogada. Há poucos lapsos de concentração ou momentos em que um defensor se atrapalha com outro. Desse modo, apesar da campanha discreta dos asturianos (apenas a 13ª posição), a defesa se destaca. Com 35 gols sofridos, é a quarta melhor da competição. Só Barcelona, Real Madrid e Villarreal foram vazados menos vezes. Essa defesa foi desenhada para evitar que o Sporting de Gijón retornasse à segunda divisão. Mas, no final das contas, foi ela a responsável por acabar com as esperanças do Real Madrid de ficar com o título.

Um comentário:

  1. é, rapaz, Mourinho teve que ficar quieto. jajaja!

    ResponderExcluir