terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mercado: como se mexeram as equipes da Liga BBVA no inverno

Após tantas especulações, o Real Madrid enfim fechou com mais um centroavante: Emanuel Adebayor (getty images)

O último dia da janela de transferências na Europa teve pouca movimentação na Espanha. O principal anúncio foi a renovação de Kun Agüero com o Atlético de Madrid, que rejeitou propostas de Real Madrid, Chelsea e Tottenham pelo argentino, com direito a diminuição do valor da cláusula de rescisão, o que sinaliza uma possível intenção futura de negócio envolvendo o atacante argentino.

No mais, nada de muito estardalhaço. No Real Madrid, o camisa 9 que José Mourinho tanto queria não foi exatamente o que ele desejava, e quem chegou foi o togolês Adebayor. No Barcelona, ninguém saiu, e o único reforço é o meio-campista holandês Afellay.

Já os principais jogadores brasileiros envolvidos em negociações com o mercado internacional tiveram a Espanha como destino. Elias, ex-Corinthians, para o Atlético de Madrid; Jonas, ex-Grêmio, para o Valencia; Cicinho, ex-Roma, para o Villarreal. Confira agora um pequeno raio-x do mercado de cada time do campeonato espanhol, do líder Barcelona ao lanterna e decepção Málaga.

Barcelona (Victor Mendes)
Chegam: Ibrahim Afellay (PSV)
Saem: -
Se no Real Madrid a discussão foi em torno de mais um camisa nove ao elenco, no Barcelona a busca era em torno de um meio-campista que pudesse substituir Xavi e Iniesta. Então, só restou a Zubizarreta e cia viajar à Holanda para fechar com a estrela do PSV Ibrahim Afellay. Até o momento, o holandês tem recebido boas chances de Guardiola e, na sua única partida como titular, fez uma boa partida, sendo elogiado por Pep. O Barcelona não perdeu nenhum jogador, mas esteve próximo disso: insatisfeito na reserva, Gabriel Milito pediu publicamente sua saída do Barcelona e chegou a acertar uma base salarial com o Málaga. Mas a pedido de Guardiola, que não tem muito zagueiros em seu elenco, o argentino acabou ficando no Barcelona.

Real Madrid (Rodrigo Zuckerman)
Chegam: Emanuel Adebayor (Manchester City)
Saem: David Mateos (AEK), Mahamadou Diarra (Monaco)
Jorge Valdano e José Mourinho passaram janeiro inteiro em atrito por um único motivo: a contratação de um camisa nove. Se o diretor esportivo defendia a tese de que Benzema deveria ser mais utilizado, Mourinho perdeu a paciência com o francês e mostrou-se insatisfeito com o clube após a lesão de Higuaín. Se o nome de van Nistelrooy foi especulado com força, o Hamburgo, atual clube do holandês, logo tratou de rejeitar a proposta madrileña, que não teve outra saída: foi até Manchester fecha o empréstimo com opção de compra do togolês Emanuel Adebayor. Porém, durante esse período (rejeição do Hamburgo e o empréstimo de Adebayor), Benzema decidiu duas partidas a favor do Real Madrid, dando mais dor de cabeça a Mourinho.

Villarreal (Victor Mendes)
Chegam: Cicinho (Roma)
Saem: Jefferson Monteiro (Levante), Altidore (Bursaspor)
Fernando Roig, presidente do Villarreal, já havia avisado que seu time já estava pronto e que não havia necessidade alguma de ir ao mercado. Porém, tudo começou a conspirar contra as palavras do presidente castellón. Primeiro, um de seus principais destaques na temporada, Nilmar, viu-se obrigado a fazer uma artroscopia no joelho direito, por queixar-se de dor. Garrido, então, logo viu em Rúben um substituto à altura do brasileiro e o Roig não precisou gastar dinheiro com algum atacante. Entretanto, mais uma lesão de um jogador importante acontece e, dessa vez, não teve jeito: Ángel, principal lateral direito da equipe, rompeu os músculos da coxa direita e fica de fora dos gramados por seis meses. Roig, então, teve que ir ao mercado e conseguiu o empréstimo com opção de compra ao final do contrato do brasileiro Cicinho, que vinha de más temporadas na Roma e não fazia parte dos planos do técnico Ranieri. No último dia de mercado, o Villarreal ainda tentou a contratação do brasileiro Lucas, do Liverpool, mas os reds rejeitaram a proposta
amarilla.

Jonas, El Matador, já chegou ao Valencia prometendo gols (superdeporte)

Valencia (Victor Mendes)
Chegam: Jonas (Grêmio), Nacho González (Levante)
Saem: Manuel Fernandes (Besiktas), Feghouli (Almería)
Depois de um mercado de verão elogiável, não era de se esperar que Manuel Llorente reabrisse os bolsos também em janeiro. De destaque, chegou o brasileiro Jonas, que entrou em atrito com a diretoria gremista e foi negociado com o clube ché. O brasileiro já chegou prometendo gol, mas é de se esperar que o brasileiro não seja titular. Outra aquisição do clube foi o retorno do Nacho González, que havia sido emprestado ao rival Levante ainda em julho. O seu retorno é uma surpresa, ainda mais porque, no momento, o jogador está lesionado e só volta em março. Das saídas, a mais sentida pode ser Manuel Fernandes. O português nunca foi uma unanimidade em Paterna, mas soube substituir bem Ever Banega no período que o argentino ficou indisponível por lesão.

Espanyol (Rodrigo Zuckerman)
Chegam: -
Saem: Coro (Osasuna), Víctor Ruiz (Nápoli), Dídac (Milan).
O Espanyol foi uma das equipes elogiada pela crítica por ter feito um mercado de verão soberbo. O de inverno, porém, pode-se considerar terrível. Além dos blanquiazules não contratarem nenhum jogador, ainda não resistiram aos assédios do futebol italiano e, ainda por cima, perdeu dois titulares: o lateral esquerdo Dìdac e o zagueiro Victor Ruiz. Sem nenhuma peça à altura para repor as perdas, é de se esperar que o Espanyol caia de rendimento, a não ser que Osvaldo, Luis García e Callejón decidam na frente. Em contra-partida, o Espanyol teve o passe de Dátolo cedido por completo.

Athletic Bilbao (Claudio Araújo)
Chegam: Díaz de Cerio (Córdoba), Urko Vera (Lemona).
Saem: Ion Vélez (Numancia), Adrien Goñi (Girona)
O mercado, que poderia ser bem marcado pela contratação de alguns jovens para a base rojiblanca, ficará na memória pelo retorno - no mínimo - esquisito do jovem Dias De Cério. O canterano, que havia sido emprestado ao Córdoba no início da temporada, trocou de ares para ganhar experiência, mas seis meses depois já está de volta ao País Basco. No mais, o clube, que resistou ao assédio do Real Madrid por Llorente (o próprio jogador rejeitou os merengues), tem um elenco suficientemente bom para lutar por vaga em alguma competição europeia e já fez sua parte para a próxima temporada: fechou com o promissor Ander Herrera, do Zaragoza.

Atlético de Madrid (Claudio Araújo)
Chegam: Juanfran (Osasuna), Elias (Corinthians)
Saem: Simão (Besiktas), Camacho e Asenjo (Málaga), Juanito (Valladolid).
Os rojiblancos sofrem com a dificuldade de comunicação entre os setores. A contratação de Elias ajudaria a tapar o buraco. A contratação do brasileiro poderia tapar um dos problemas crônicos da equipe: o meio-campo. Há vários anos o clube procura um volante que marque com eficiência para deixar a defesa menos desprotegida e tenha boa técnica para reforçar o sistema de criação – que não é dos mais brilhantes. Paulo Assunção, Tiago e Raúl García até fazem bem a parte defensiva, mas não têm chegada na frente. Reyes e Simão ficam abertos demais e não conseguem se comunicar.

Sevilla (Rodrigo Zuckerman)
Chegam: Medel (Boca Juniors-ARG), Rakitic (Schalke 04-ALE)
Saem: Konko (Genoa-ITA), Luna (Almería).
A temporada catastrófica do Sevilla é oriunda do mal mercado de verão feita pela cúpula sevillistas, que foi incompetente entre junho e agosto. O time sente claramente a falta de algum fantasista no meio-campo e, então, a diretoria resolveu agir: Gary Medel e Rakitic foram anunciados e pode ajudar a equipe a dar um bom upgrade nesse meio-campo carente de criação dos rojiblancos.

Mallorca (Claúdio Araujo)
Chegam: Ienaga (Cerezo Osaka-JAP)
Saem: Ratinho, Cavenaghi (Inter-BRA)
O nome mais pedido foi o de Ujah. No último dia de mercado, o Mallorca chegou a anunciar o nome do jogador, que pertence ao Lillestrom. Mas os dois clubes não chegaram a um acordo e Corrales não quis ser moeda de troca. Os aficionados do Mallorca ainda respiraram aliviados, quando o clube informou que não irá negociar com seu craque Gonzalo Castro. A perda sentida será de Cavenaghi. O jogador, que estava emprestado pelo Bordeaux, foi negociado pelo franceces com o Internacional, e os rojillos nada podem fazer para impedir o trapasso. O japonês Ienaga chega para substituir o argentino, que até já se apresentou aos colorados. O nome do lateral Ángel, do Sporting Gijón, chegou a ser comentado com força nas últimas horas de transferências, mas as equipes não chegaram a um acordo.


Deportivo (Victor Mendes)
Chegam: José Sand (Al-Ain), Javito (Aris-GRE), Xisco (Newcastle-ING)
Saem: Piscu (Wigan-ING), Bergantiños (Nastic)
O mercado blanquiazul só começou a ficar animado nos últimos dias, quando a cúpula galega anunciou seus três reforços para a continuidade da temporada. Porém, uma venda que já foi concretizada, mas só sairá ao final da temporada já deu o que falar no ambiente blanquiazul: Adrián González, principal jogador do Deportivo na temporada, já teve seu acordo de transferência concretizado para o Atlético de Madrid. O jovem promissor, que vem fazendo uma temporada excelente, confirmou o trapasso com os rojiblancos, mas só se apresentará em julho. Se os torcedores do Deportivo são orfãos de Roy Makaay e Diego Tristán e viam em Adrián uma esperança, logo a tristeza com a falta de gol irá retornar, caso a diretoria não haja e traga um bom homem-gol à equipe.

Zaragoza (Claudio Araujo)
Chegam: N'Daw (Saint Etienne-FRA), Paulo da Silva (Sunderland-ING).
Saem: Pennant (Stoke City)
Assim como na temporada passada, o Zaragoza conseguiu uma ótima reação em janeiro para sair da zona de rebaixamento e conseguiu um lugar no meio da tabela. Pennant, que chegou com ares de estrela, não conseguiu cumprir às expectativas em torno de sua contratação e acabou sendo relegado ao banco de reservas, o que valeu sua saída do clube.

Osasuna (Cláudio Araujo)
Chegam: Coro (Espanyol), Cejudo (Las Palmas)
Saem: Juanfran (Atlético de Madrid)
A saída de Juanfran causou um frisson na torcida, que esperava uma contratação à altura de seu principal jogador. O nome de Coro foi anunciando, mas sem grande contorno de alegria. O jogador, que durante sua passagem pelo Espanyol foi sempre elogiado por jogar limpo, fez uma ótima partida contra o Real Madrid, no domingo, onde marcou bem Cristiano Ronaldo e já começa a ganhar créditos com a torcida. Cejudo, que foi confirmado no último dia de transferências, ainda esperar uma autorização para pode estrear, mas as primeiras expectativas é de que ele seja banco do ex-blanquiazul.

Racing Santander (Victor Mendes)
Chegam: Giovani dos Santos (Tottenham-ING)
Saem: Edu Bedia (Salamanca), Waldo Ponce (O'Higgins), Ísmodes (C.U.Peru)
Novo rico do futebol espanhol, o Racing Santander foi adquirido, durante meados de janeiro, por um empresário indiano bilionário (Ahsan Ali Syed). O presidente da Western Gulf Advisory Asset and Wealth Management (WGA) afirmou que está "entusiasmado e muito orgulhoso" de ser "o novo proprietário do Racing" e disse que sua intenção é de elevar a equipe "ao maior nível na Espanha e na Europa". Mas com o mercado feito por sua diretoria será difícil alcançar seus objetivos. O retorno de Zigic foi muito comentado, mas o jogador rejeitou voltar à Espanha. Então, restou à diretoria recorrer ao empréstimo de Giovanni dos Santos às pressas nas últimas horas de mercado. O jogador, que saiu das canteras do Barcelona e já chegou a ser apelidade de novo Ronaldinho Gaúcho, ainda não conseguiu se afirmar em nenhuma equipe e é difícil imaginar que ele possa conduzir o Racing Santander à salvação.

Levante (Rodrigo Zuckerman)
Chegam: Wellington Silva (Arsenal), Jefferson Montero (Villarreal).
Saem: Nacho González (Valencia)
Tímido, não há nada de importante para se analisar no mercado do Levante. O brasileiro Welligton Silva chegou como desconhecido dos aficionados e ainda nem estreou. O equatoriano Jefferson Monteiro mostrou nas poucas partidas que fez no Villarreal ser um jogador habilidoso e veloz e talvez seja o único ponto acertado da diretoria azulgrená. Livra-se de Nacho González sem nenhum custo foi um ponto negativo.

Almería (Claudio Araújo)
Chegam: Juanito (Málaga), Luna (Sevilla), Feghouli (Valencia), Strasser (Ried).
Saem: Nieto (Xerez), Valeri (Lanus)
A queda de Lillo no comando técnico rojiblanco parecia ser uma decisão bem errada por parte da cúpula do Almería, mas Oltra tem dado jeito na equipe. Ainda que esteja na penultima colocação, a margem de crescimento da equipe tem sido alta e a salvação é possível. Feghouli, sem chances no Valencia, já chegou dizendo ser possível, sim, fugir do rebaixamento, mas nenhum nome contratado no mercado foi o bom o suficiente para entrar no time titular.

Málaga (Victor Mendes)
Chegam: Júlio Baptista (Roma), Asenjo e Camacho (Atlético de Madri), Demichelis (Bayern de Munique), Maresca (sem time).
Saem: Albert Luque, Juanito (Almería), Edu Ramos (Leganés), Galatto, Iván Hernández.
O time que mais gastou no mercado é, também, a grande decepção. Em um mercado de inverno quase tão parado quanto o trânsito paulistano, os blanquiazules se destacaram pelos grandes investimentos. Porém, a equipe não só entrou na zona de rebaixamento como está na última colocação. Com um técnico competente e um elenco acima da média dos concorrentes, o Málaga pode se livrar do rebaixamento com alguma tranquilidade. Basta fugir das pressões por grandes resultados e vencer os confrontos diretos (não é tão difícil, até porque receberá Zaragoza, Gijón e Almería em La Rosaleda). Com isso, é possível se estabelecer no meio da tabela, logo abaixo dos times grandes e médios.
*O mercado do Málaga será pauta de um dos nossos próximos textos. Portanto, será analisado com mais calma.

A Real Sociedad e o Hércules não contrataram e nem venderam/emprestaram nenhum jogador. O Getafe e o Sporting Gijón, por sua vez, se desfizeram apenas de Polanski (Getafe) e Portilla (Sporting Gijón)

3 comentários:

  1. Pô, foi feito em cima da hora. Deixa pra próxima. :P

    ResponderExcluir
  2. A Real Sociedad se reforçou com Vadim Demidov...do Rosenborg

    ResponderExcluir